“Homem-Aranha: De Volta ao Lar” (“Spider-Man: Homecoming”, 2017)

Avaliação do Autor:

Uma deliciosa mistura dos filmes de super-heróis da Marvel com as comédias adolescentes dirigidas por John Hughes, como “Curtindo a Vida Adoidado” e “Clube dos Cinco”, isso é “Homem-Aranha: De Volta ao Lar”.

O longa acerta em cheio ao pular toda a história do herói, como a picada da aranha, que já foi saturada nas produções anteriores. Nesta vimos um Peter Parker (Tom Holland) adolescente, tendo que ao mesmo tempo lidar com os dramas da adolescência e ser um super-herói que quer tornar-se igual ao Tony Stark/Homem de Ferro e que tem o personagem de Robert Downey Jr como um ídolo, um “deus do Olimpo”. Outro aspecto positivo é mostrar o aracnídeo em sua concepção original, uma pessoa otimista, divertida e alegre. O jeito desajeitado do personagem causa boas e deliciosas risadas ao espectador.

O filme começa com o Peter Parker filmando sua experiência como Homem-Aranha ao lado dos Vingadores e jogando no Youtube, criando uma empatia quase imediata do personagem imaturo com o espectador.

E apesar de vários temas serem tratados, já que mostra o melhor amigo do Parker, Ned (Jacob Batalon), a tia May (Marisa Tomei) e o vilão Adrian Toomes/ Abutre (Michael Keaton), o roteiro se mostra coeso e redondo, sem nenhum furo.

E, claro, o filme tem cenas de ação, mas não tantas como os anteriores da Marvel, então se espera isso não vai encontrar. Mesmo “De Volta ao Lar” ser uma grata surpresa, não é comparável aos dois excelentes longas do Homem-Aranha, dirigidos por Sam Raimi e protagonizados por Tobey Maguire.

Tom Holland, que já tinha se mostrado como bom ator no ótimo “O Impossível”, só confirma o seu talento, fazendo uma interpretação segura de um adolescente de 15 anos, mesmo o ator tendo 21. Jacob Batalon (Ned) também arrasa na interpretação. Agora é uma ótima sacada ter Michael Keaton de volta aos filmes de super-heróis. O eterno Batman, que depois fez uma sátira a estes filmes no excelente “Birdman”, agora volta como antagonista e reaviva a memória dos que viveram na década de 90 e o viram como o Homem-Morcego.

 

Dê sua Opinião